Que tal rodar o mundo em uma Kombi?

por

Olá pessoal! Nós somos a Gabriella e o Felipe, temos 29 e 28 anos respectivamente, e estamos há quase 3 meses nas estradas da América do Sul com a nossa Kombi Felícia.

Gabi, Felipe e Felícia no Chile

A história da nossa viagem começou há 2 anos, quando tivemos a ideia de pedir demissão dos nossos trabalhos e viajar pelo mundo. Toda a nossa preparação durou 1 ano e meio e nesse período muitas perguntas e incertezas surgiram.

PUBLICIDADE:

Inicialmente pensamos em viajar só de mochila, mas depois acabamos decidindo viajar de carro porque adoramos a estrada, a natureza e o fato de ter o nosso próprio cantinho para dormir e cozinhar, coisas que adoramos fazer.

A Felícia é muito mais do que nosso transporte, casa, é felicidade

Tendo isso em vista começamos a procura pelo carro. Apareceram mais dúvidas como: a necessidade do 4×4, o local onde dormir (barraca de teto ou dentro do carro), o tipo de combustível, o ano do carro, enfim, muitas perguntas. Demoramos 1 ano para decidir qual seria o escolhido e vimos muitas opções, fomos inclusive para outras cidades atrás do carro que achávamos que era o ideal.

No final das contas, os pontos que mais pesaram na hora da nossa escolha foram o preço do carro e a possibilidade de viver dentro dele sem precisar de barraca. Muitas pessoas viajam de Defender (tipo de veículo 4×4), mas ele não era compatível com o nosso orçamento. Além disso nós queríamos poder dormir e ficar sempre do lado de dentro, com espaço e conforto. Chegamos a pesquisar também vans maiores, como por exemplo a Sprinter, mas, novamente devido ao preço, tanto de compra como de manutenção, a Kombi venceu.

Nossa Felícia

A Kombi foi a solução que encontramos para nossos problemas, ela custa menos da metade do preço do Defender (sendo que mais nova e com menor quilometragem), é bem espaçosa e tem um charme e carisma que só ela tem.  Onde ela passa sempre chama atenção, várias pessoas vêm conversar com a gente apenas para conhecer a Felícia.  Escolhemos abrir mão do 4×4 para ter um pouco mais de conforto dentro do carro e não nos arrependemos.

Depois de quase 3 meses de viagem nós concluímos algumas coisas:

  • A escolha do carro influencia muito o tipo da sua viagem. Todos têm pontos bons e ruins e sem dúvidas o importante é viajar, mas algumas escolhas podem mudar o seu planejamento. Por exemplo, dormir dentro do carro e não na barraca de teto nos dá mais segurança e conforto. Podemos encostar em qualquer lugar sem precisar sair do carro para armar a barraca, estamos mais protegidos do frio, do vento e de outras pessoas.
Nosso cantinho
  • O consumo do carro é muito importante mas você acaba percebendo que o que gasta muito dinheiro é andar longas distancias rapidamente então se você viajar mais lento, ficando mais dias em cada lugar, você gasta menos.  Além disso aprendemos que é quase impossível conhecer todos os cantos de todos os lugares, você terá que fazer escolhas.

  • Quanto mais prático melhor. Tudo o que precisa tirar do lugar, abrir, montar, desmontar, dá trabalho e dá preguiça. Se não for prático, você não usa. E para esclarecer, quando falamos em prático queremos dizer em questão de segundos, literalmente.
Economize fazendo sua própria comida
  • Outro jeito de economizar na viagem é cozinhar sua própria comida então montar um bom esquema com geladeira ou cooler, fogão ou fogareiro ajuda bastante.
Felícia é pau para toda obra, em Parque Pan de Azucar
  • Por enquanto não sentimos falta do 4×4. Já passamos por terra, neve, um pequeno riozinho, areia, asfalto, altitude de mais de 4000 metros e não tivemos problemas. Vale ressaltar que a nossa Kombi é 2013, injeção eletrônica e com radiador de fábrica. Carros mais antigos podem sofrer um pouco mais, mas na internet você encontra outras pessoas viajando com Kombis mais antigas sem problemas.

  • É importante lembrar que não passar muito frio nem muito calor também são essenciais. Nós não temos um isolamento térmico na Kombi e acabamos passando um pouco de frio. Compramos um aquecedor que ligamos na energia externa e isso nos ajudou bastante nas noites mais geladas.
Detalhes da Felícia na Quebrada de Humahuaca

Essas são as conclusões que foram válidas para a nossa experiência até agora. Cada carro, viajante e roteiro terão suas particularidades. Antes de começar a viajar nós imaginávamos um milhão de coisas que tínhamos visto nas viagens de outros casais, mas a verdade é que cada experiência é diferente da outra. Um bom planejamento é importante, claro, mas não dá para prever tudo. Conhecemos viajantes a pé, de bicicleta, de moto, de caminhão, de fusca, de tudo o que você possa imaginar. E não importa qual a combinação de estilo, viajar sempre é possível.

Se você estiver pensando em fazer uma viagem de carro, vai ver que não existe receita de bolo nem forma certa ou errada de viajar. No geral as coisas são mais simples do que imaginamos e não precisamos de tanta coisa assim.

Para saber um pouco mais sobre a nossa viagem ou pedir alguma dica é só nos seguir no facebook, instagram ou visitar o nosso site!

Beijos e abraços!

Veja também

3 Comentários
  1. Erika Beltrão 5 meses atrás
    Responder

    Parabéns pela matéria! Muito legal! Tinha muita curiosidade sobre este tipo de viagem! Aproveitem!

    • Maryna Moraes 5 meses atrás
      Responder

      Adoramos compartilhar essa matéria também, e eles são super legais e abertos a tirar dúvidas caso pense em rodar o mundo de carro 😀
      (E se pensar em fazer isso, leva a gente junto hahahaha)

  2. […] os destinos mais famosos do continente era o deserto do Atacama. Como estamos viajando com uma Kombi, a Felícia, inicialmente consideramos fazer alguns passeios com agências de viagem pois […]

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.