Pequeno viajante: aos 7 anos, garoto visitou 50 países

por

Qualquer destino pode ser aproveitado com crianças mesmo que não tenha atividades exclusivamente infantis. Mas como garantir a diversão dos pequenos mesmo nesses destinos não convencionais?

Felipe aproveitando o trem transiberiano

Nós costumamos dizer que qualquer destino é bom para as crianças, desde que estejam perto dos pais. Carregamos o Lipe conosco com 2 anos para a Índia (durante as monções), comemoramos um aniversário do filhote no trem transiberiano comendo o peixe defumado omul com vodka russa e celebramos outro aniversário do pequeno em algum lugar entre a Macedônia e o Kosovo. Nós já passamos Natais e Réveillons nos EUA, na Argentina, no Deserto do Atacama, na França e na Alemanha. Foram vários dias das mães mundo afora, na Eslovênia, Escócia, Colômbia, Nova Zelândia e Uruguai, para citar alguns.

PUBLICIDADE:
Conhecendo nova cultura e fazendo novos amigos

O nosso conselho é: viaje para onde VOCÊ quer viajar.

Você PODE fazer diferente. Pode ir para outros lugares. Não precisa ser “igual a todo mundo”.

Eu sei que a regra, geralmente, é: hotel-fazenda, resort no nordeste ou no Caribe, Disney na Flórida ou Califórnia, talvez o conforto de um navio, ou as capitais europeias. Eu sei que você PRECISA colocar atrações para o seu filhote no roteiro, de preferência um parque temático, afinal, não é isso o que todo mundo faz?

Ok, se, e somente se, esse for o seu sonho.

Ter um filho-viajante, contudo, não significa que você está LIMITADO a essas possibilidades que eu mencionei acima.

Alimentando os elefantes com abacaxis

Se você sonha em conhecer o Laos, você PODE ir lá com o seu filho, te garanto que ele vai gostar tanto de alimentar os elefantes com abacaxis às margens do Rio Mekong, pés afundados no lodo, quanto curtiria o safári ‘fake’ do parque da Disney Animal Kingdom. Se você gostaria de conhecer Fernando de Noronha, é para lá que deve ir: ver os golfinhos de lá, pulando no mar é muito, mas muitooooooo melhor do que ver o show deles no Sea World.

Juro que é!

Curtindo o Prambanan com o papai

Logo, logo, o seu filho vai crescer e vai ter todo o tempo do mundo para fazer e, principalmente, para PAGAR pelas viagens que ele sonha fazer.

Agora é a sua vez.

Você é quem está suando para pagar a conta, você é quem está no comando (ainda!), é o seu sonho.

Se o seu sonho é a Disney, vá, não só pelo seu filhote, mas, principalmente, por você.

Mas, se o seu sonho é caçar aurora boreal na Islândia, você pode muito bem ir com o filhote, e de Campervan (fazer o passeio em um carro específico, onde você pode dormir nele). Eu garanto que dá!

Campervan no Canadá

Lembre-se: com exceções as zonas de guerra, não existe lugar “ruim” para ir com uma criança.

Dicas em relação à segurança das crianças:

Faça seguro de saúde, leve um kit com os remédios mais comuns que a criança costuma usar, vá ao médico antes de viajar e dê todas as vacinas necessárias, use sempre cinto de segurança e a cadeirinha adequada ao tamanho da criança, coloque sempre algum tipo de identificação na criança, seja costurado na roupa ou até mesmo uma pulseirinha com um telefone de contato.

Sempre dando uma pausa pra o lanche

Dicas com relação às viagens (avião/carro) longas:

Leve algum brinquedinho novo, como por exemplo: canetinhas e folhas de papel para desenhar, livrinhos, tablet com joguinhos e filminhos preferidos. Leve também uma muda de roupas, algum tipo de alimentação que a criança goste bastante, e não se esqueça do pirulito para o pequeno viajante chupar nos pousos e decolagens – é a melhor solução para “desentupir” os ouvidinhos. Em viagens de carro, faça paradas frequentes. E sempre, sempre use cinto de segurança, em todas as ocasiões, até em um voo que parece ser super tranquilo! Já pegamos turbulências fortes com céu azul! Tirar o cinto no avião só para ir ao banheiro, e muito rapidamente!

Curtindo todos os momentos

Dicas para a hora de escolher a acomodação da viagem:

Claro que isso depende de cada família. No nosso caso, valorizamos preço em conta, limpeza, wifi grátis, simpatia no atendimento, camas confortáveis, um chuveiro gostoso e um bom café da manhã.

Se houver uma piscina ou um espaço kids, melhor ainda, mas definitivamente não são pré-requisitos para se viajar com crianças.

Cachoeira de Tijuipe

Como planejar a viagem

Com as crianças a tiracolo, a única coisa que realmente precisa mudar – e isso não só depois de ter um filho na bagagem, mas é um exercício que todos nós, seres viajantes, precisamos fazer a cada viagem – é segurar a ansiedade de querer abraçar o mundo!

Visitando a Bélgica

Eu sou a típica viajante “já que” – já que estou aqui, será que não dá para ir ali, tão pertinho…Já que estou na Índia, ‘preciso’ ver o Taj Mahal.

Não dá.

Ou melhor, dá, mas a viagem vira uma maratona. Slow travel (viajar devagar) é vida, e isso não é verdade só para quem tem um pequeno mochileiro a reboque – é pra todo mundo, uma meta para cada viagem.

Lipe no Taj Mahal

A maior prova disso é que as nossas melhores viagens foram aquelas em que não tínhamos pressa para nada e que a nossa única obrigação era dormir bem, comer bem, curtir lindas paisagens e ver o pôr do sol juntos todos os dias.

Então planeje viajar devagar, curtindo os momentos, e não encher o roteiro de atrações e transformá-lo numa maratona familiar.

Essa alegria no rosto do Lipe é que compensa tudo

Espero que as dicas tenham ajudado vocês e que se sintam incentivados a viajar pelo mundo com os filhotes, caso queira saber um pouco mais das nossas andanças pelo mundo, contamos tudo no nosso site.

Veja também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.