Buenos Aires: um relato de 6 dias

Erika por

Olá viajantes! Trago aqui um pouco da minha experiência de viagem por Buenos Aires em janeiro de 2017. Buenos Aires foi a primeira cidade que visitamos numa viagem que fizemos eu e minha mãe, onde passamos também por Colonia Del Sacramento, Montevidéu e Punta Del Leste no Uruguai.

Em frente ao Consulado Brasileiro

Primeiro dia

Chegamos a Buenos Aires pelo aeroporto Aeroparque aproximadamente às 16h30min no horário local, após um voo bem tranquilo. Quando saímos do terminal de desembarque fomos trocar dinheiro no Banco de la Nación que segundo informações prévias tinha o melhor câmbio da cidade, informação confirmada por um casal de brasileiros que tinha saído do centro para fazer o câmbio no aeroporto. Pegamos um transfer para o hotel que tem preço fixo de acordo com o bairro. Ficamos hospedadas no Hotel Unique Art Elegance, no bairro da Recoleta.

PUBLICIDADE:

É um hotel antigo, pequeno, mas achamos bem agradável, o quarto é bem espaçoso, camas confortáveis, enfim o que precisamos para descansar bem, não é um hotel com “precinho de estudante”, mas pegamos uma boa promoção e valeu a pena. O café da manhã é bem restrito comparado aos cafés que somos acostumados aqui no Brasil.

Passeio na Fragata Sarmiento, no Puerto Madero

O primeiro lugar para conhecer foi o famoso bairro Puerto Madero. Pegamos um táxi em frente ao hotel, sempre nos atentando para pegar um que tivesse a placa Radio Táxi e pedimos para parar próximo a Puente de La Mujer. Táxi é realmente bem em conta em BsAs, mas usamos poucas vezes, pois a estação de metrô era bem próxima ao hotel. Esse é um dos pontos que observo quando vou reservar a hospedagem, a facilidade de transporte, nosso hotel ficava bem próximo a estação do metrô Las Heras – Linha H.

Vista para a Puente de La Mujer

Assim que chegamos vimos a Ponte e Fragata Sarmiento, que estava fechada para visitação, devido ao horário. Andamos pela região, muita gente passeando, muitos restaurantes, noivos fazendo fotos, adoramos toda aquela movimentação. Optamos, naquele dia, por não jantar nos famosos restaurantes da região e fizemos um lanche numa rede de fastfood local, Mostaza, muito bom e barato.

Segundo dia

Aos domingos acontece a famosa e tradicional Feira de San Telmo, então fomos conferir! Acordamos cedo, como em todos os dias da viagem, acho que é um segredo de todo viajante para aproveitar bem a viagem e pegamos o metrô próximo ao hotel.

Feirinha de San Telmo

Descemos na Casa Rosada, na estação Plaza de Mayo, como tínhamos uma visita guiada agendada para às 14h não paramos para admirá-la ainda. Fomos em direção a Calle Defensa, onde fica a maior parte da Feira de San Telmo e fomos passando no caminho por alguns personagens do Paseo de La Historieta que é um circuito em homenagem aos principais personagens de histórias em quadrinhos argentinos. Adoro streetart e fomos nos divertindo e conhecendo um pouco mais pelo caminho.

Com a turma da Mafalda

Chegamos cedo e por isso não esperamos muito para tirar a famosa foto com a Mafalda, podem acreditar forma-se um fila enorme para fazer esta clássica foto rsrsrs. A feira ainda estava sendo montada. Andamos bastante pela feira e lojinhas que ficam nas redondezas. Muita coisa legal para ver: antiguidades, doce de leite, suvenir. Além de observar a arquitetura do bairro que é toda antiga.

Almoçamos nosso primeiro churrasco argentino no restaurante Desnivel e tomamos a primeira cerveja Quilmes. Foi um dos melhores almoços da viagem! Tudo muito bom.

A Casa Rosada, também conhecida como Casa do Governo.

Após o almoço seguimos para a visita guiada na Casa Rosada. Para ter acesso, deve-se apresentar o comprovante do agendamento e um documento de identificação (identidade ou passaporte). Fizemos o agendamento pelo site 15 dias antes da data da viagem. A visita ocorre aos sábados, domingos e feriados, é gratuita e dura em média 1 hora. Vale muito a pena conhecer.

Parte interna da Casa Rosada

Em seguida percorremos a Plaza de Mayo, a Catedral (belíssima), o Cabildo, seguimos para a Calle Florida e finalizamos o passeio na Galerias Pacifico. A Galerias Pacífico é bem bonita e nela fica o Centro Cultural Borges que tem shows de tango e no preço bem acessível.

Pegamos o metrô de volta para o hotel, pois à noite tínhamos agendado o famoso Señor Tango. Compramos os ingressos aqui no Brasil.

Fomos para o teatro com o transfer contratado e passamos por diversos pontos turísticos que com a iluminação noturna ficam ainda mais bonitos. O show é muito bonito, é um grande espetáculo, não posso dizer se é a melhor opção, pois não conheci outros, mas gostei muito e recomendo. O espetáculo termina próximo da meia noite. Compramos só o show sem o jantar, quem compra com o jantar chega mais cedo e faz a refeição antes do show começar.

Terceiro dia

Iniciamos o roteiro com uma visita guiada ao Teatro Colon, escolhemos a visita em espanhol no horário das 10h. O teatro é incrível, lindo, glamoroso. Nesta visita guiada, além de conhecer o teatro aprendemos muito sobre a história do país e da cidade de Buenos Aires. Foi um passeio um pouco caro para uma viagem econômica (eu achei!), mas vale a pena.

Em seguida fomos para o ponto de encontro do FreeWalks Tour, que é exatamente ao lado do teatro.

Eles dividiram o grupo em dois, um para o tour em inglês e outro em espanhol. Nós pegamos o tour em espanhol e o grupo era bem menor que o em inglês. O tour foi feito pelo bairro da Recoleta, iniciando no Teatro Colon, passando por muitas casas e palacetes da antiga aristocracia portenha e terminando no Cemitério da Recoleta. Esse tour é bem interessante, conhecemos sobre a história, a aristocracia e arquitetura portenhas. O tour é bem longo, não só de tempo, mas também de percurso.

Entrada do cemitério da Recoleta

Neste dia estava um sol escaldante e em muitos locais não tinha abrigo na sombra, o tour terminou perto das 14h e estávamos acabadas kkkk Almoçamos no conhecido El Mundo de la Milanesa, que fica por trás do cemitério e tem um ambiente bem agradável, não é muito turístico mas tem bom preço e boa comida. A Milanesa argentina não se parece em nada com a brasileira, então não seja pego de surpresa com uma carne da espessura de um papel rsrsrsrs.

Naquela mesma região fica o Buenos Aires Design, que é um shopping que tem muitas coisas de casa, objetos de decoração e arte, então para turista, não achei nada de interessante. Seguimos a pé para o hotel, e no caminho paramos na famosa sorveteria Freddo e tomamos o nosso primeiro cono de dulce de leche. À noite fomos para o Recoleta Mall e foi bem decepcionante, pois não é um shopping grande, só um centro comercial chique, então em 30 minutos percorremos tudo, além da praça da alimentação ser bem restrita.

Quarto dia

Jardim Botânico Carlos Thays

Fomos conhecer os Bosques de Palermo. Saímos cedo para conhecer o Jardim Botânico Carlos Thays, pegamos o metro até a estação Plaza Italia e descemos na calçada do Jardim Botânico. Quando chegamos ao portão estava o aviso que não iria abrir devido as grandes chuvas da madrugada. Então, seguimos a pé para o Rosendal, o jardim das rosas, que também estava fechado devido aos estragos causados pelas chuvas. Mas conhecemos o parque e é realmente muito bonito. Vale a pena conhecer. Infelizmente não fomos ao planetário…

Bosques de Palermo

Decidimos arriscar e fomos até o Jardim Japonês e… Estava aberto! Lindo de mais! A entrada é paga e funciona todos os dias das 10 às 18 horas. Reserve pelo menos duas horas para conhecer. E quem quiser pode almoçar no restaurante que funciona dentro do jardim. Nós não conhecemos.

Em seguida fomos até o Museu de Belas Artes que tem visita gratuita. O prédio tem uma arquitetura linda e contem muitas obras interessantes, eu adoro museus (sou suspeita para falar), mas eu recomendo, vale a pena.

Por trás do Museu fica a Flor Metálica, Floralis Generica. Fizemos muitas fotos no local, mas não tem muita coisa para se ver. E neste horário a fome e o sol já estavam insuportáveis. Seguimos até a Av Pueyrredon, e sentamos num restaurante lá mesmo. Finalizando assim o roteiro do dia.

A Floralis Genérica

À noite, fomos ao Shopping Alto Palermo, é um shopping bem interessante quanto a sua arquitetura, a construção foi reformada mas tem mais de 100 anos. O acesso é bem fácil, porque pela estação do metrô se tem acesso direto ao shopping.

Quinto dia

Fomos conhecer o Bairro La Boca onde está uma dos principais cartões postais de Buenos Aires: a famosa Rua Caminito, com suas cores fortes é um dos pontos turísticos mais visitados da cidade. Além disso, é no La Boca que fica o estádio do Boca Juniors um dos clubes de futebol mais populares da Argentina.

El Caminito

Após muitas pesquisas, infelizmente não descobrir como chegar de transporte público, quando pedíamos indicação nos mandavam tomar um táxi. Mas como uma legítima viajante econômica (e sem frescura), pesquisei uma estação de metrô que ficasse mais próxima do destino, que com isso encurtaríamos a distância, pois do nosso hotel até o Bairro La Boca era bem longe. E assim fizemos, fomos de metrô até a estação Caseros e quando saímos da estação, que atravessamos a rua, lá vinha um ônibus com a placa La Boca! O Anjo da guarda dos mochileiros nos fez economizar uma corrida de táxi kkkkk. E assim chegamos ao La Bombonera, com uma combinação de metrô e ônibus.

É possível fazer um tour guiado para conhecer o estádio. A visita pode ser somente ao museu ou acrescentar um tour no estádio. Nós não fizemos a visitação. Para maiores detalhes dá uma olhada no site.

Seguimos andando até a Rua Caminito, muito se fala sobre ter cuidado com a segurança no local, mas era cedo da manhã e tinha muita gente andando nas ruas. Não nos sentimos inseguras nenhuma vez em Buenos Aires. Como ainda estava cedo, deu para conhecer sem pressa, fazer fotos sem tanta gente aparecendo no fundo, e a área turística se estende além da famosa rua. Todo o entorno é urbanizado, com galerias, museus, lojinhas, restaurantes… Vale a pena conhecer, é bem bonito e diferente do restante da cidade.

Rua do El Caminito

Tem vários artistas se apresentando na rua, outros disponíveis para tirar fotos com os turistas (cuidado, que é pago), achei tudo muito bacana. Nos encantamos com as cores do Caminito. Como estava perto, resolvemos almoçar em Puerto Madero. Pegamos o ônibus e paramos próximo ao restaurante bem turístico: Siga La Vaca. Como já tínhamos visto o preço do Brasas Argentinas anteriormente, preferimos a opção mais em conta. Não gostamos muito do restaurante, o ambiente é ótimo, mas o serviço foi péssimo, a comida é ok e o churrasco bem mais ou menos… Depois do almoço, ficamos andando pela região e fomos até a Fragata Sarmiento e desta vez, conhecemos por dentro. Já era próximo das 16 horas e o calor estava enorme. Decidimos voltar para o hotel e depois ir para o Malba, mas depois que tomamos o banho só saímos à noite para jantar perto do hotel mesmo rsrsrsrsrs (essas coisas acontecem).

Sexto dia

Grande parte do roteiro proposto já tinha sido cumprido, então decidimos ir novamente ao Jardim Botânico e desta vez estava aberto ao público, gastamos um bom tempo admirando e curtindo o ambiente. Valeu a pena ter voltado, minha mãe adora plantas e o ambiente é bem acolhedor e descansamos dos outros dias que foram bem intensos…

Livraria El Ateneo

Pegamos o metro para ir até a Livraria El Ateneo, mas nos perdemos para chegar (primeira mancada grande da viagem, tem duas estações de metro com o nome Callao só mas em linhas diferentes). A livraria é considerada uma das mais bonitas do mundo. Funciona num antigo teatro, e atualmente onde era o palco, funciona um café, as varandas são originais, a ornamentação segue como o de um teatro com até cortinas de veludo. As pessoas podem se sentar para ler qualquer livro sem obrigação de comprar. Não é um local imperdível, mas é bem interessante. Mesmo com o estresse de andar muito e nunca chegar ao destino kkkk eu gostei de ter conhecido.

Congresso Nacional

Pegamos novamente o metrô, desta vez para o centro, fomos tentar trocar dinheiro, as filas estavam enormes e a cotação bem mais baixo do que no aeroporto. Fizemos um lanche rápido no Centro e às 15 horas fomos para o Congresso Nacional ponto de encontro do FreeWalks, desta vez o roteiro era pelo Centro histórico. O tour também é bem bacana, inicia pelo Congresso Nacional e termina na Casa Rosada, passando por todo o centro da cidade. Neste tour conhecemos mais sobre a história política da cidade e do país.

Prédio com desenho de Evita Perón na avenida 9 de Julho

Com esse tour finalizamos nossos passeios por Buenos Aires. Da minha lista de desejos faltou o Malba e o Café Tortoni. Então… vou ter que voltar!

No dia seguinte partimos para Colonia Del Sacramento (que já falamos aqui no blog)! Espero que tenham gostado e viajado um pouco conosco. Buenos Aires é uma cidade encantadora, o povo argentino foi muito acolhedor e com certeza voltaria outras vezes. Um abraço e continuem acompanhando a nossa viagem!

 

Veja também

3 Comentários
  1. […] utilizei a companhia aérea Aerolineas Argentinas, saindo de Santiago, no Chile, com conexão em Buenos Aires. Como estava com tempo, peguei uma conexão de 12hs e aproveitei para passear pela capital […]

  2. […] Nós tivemos esta experiência em Santiago, Valparaiso, Montevidéu e dois roteiros diferentes em Buenos Aires, e recomendamos todos […]

  3. […] esta é a terceira parte de uma viagem que fizemos, eu e minha mãe, onde passamos também por Buenos Aires e Colonia Del […]

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.