lagunas altiplanicas

5 dias no Deserto do Atacama

por

O Atacama é um deserto com paisagens incríveis situado no norte do Chile. Com temperaturas que variam de graus negativos a 30 graus ou mais em algumas horas, o Atacama é o deserto mais alto e mais seco do mundo (em alguns lugares não chove à séculos ou nunca choveu).

Mirante chegada ao deserto
Mirante chegada ao deserto

Mesmo tendo um clima extremo e uma enorme falta de recursos naturais, ele já era habitado por tribos há centenas de anos. Hoje, é um dos principais destinos turísticos do Chile, recebendo gente do mundo todo. Seus vulcões fazem parte do Anel de fogo do Pacífico (a maior Cadeia de vulcões do mundo).

PUBLICIDADE:

Como chegar

É possível chegar de Carro, ônibus ou avião. Quem vai de ônibus, deve-se dirigir até a rodoviária de Santiago ou comprar a passagem nos sites das empresas Turbus, Pullman ou Andesmar. O ônibus leva até Calama, cidade a 100 km de San Pedro. De lá pegamos uma van até a hospedagem em San Pedro do Atacama.

Vista do mirante – chegada ao deserto

Essa viagem não é indicada para quem tem pouco tempo no Chile ou quem cansa rápido. A distância entre Santiago e Calama é de 1600 km. Isso faz com que o deslocamento por via terrestre dure 24 horas. Como presente, a paisagem, que é de tirar o fôlego.

Para quem vai de carro, também é possível chegar em San Pedro saindo de Santiago, de Salta na Argentina ou via Bolívia.

Laguna Miscanti

A maneira mais rápida é chegar de avião, também partindo de Santiago. Latam, Sky Airline e Jetsmart fazem o trajeto. A Jetsmart tem uma proposta de baixo custo. Para quem deseja ir pela Latam, a dica é comprar a passagem pelo site da Latam Chile. A economia é grande, pode chegar a metade do valor da Latam Brasil.

Chegando no Aeroporto de Calama, várias empresas fazem o transporte até San Pedro. A mais conhecida é a Trans Licancabur. Lá você pode acerta a ida e deixar agendada a volta. No caminho as vans que prestam esse tipo de serviço fazem uma parada em um mirante na estrada perto de San Pedro. Ali já começamos a ficar impressionados com o tamanho e a beleza desse deserto incrível.

Próximo a pedra Del Coyote
Próximo a pedra Del Coyote

Onde ficar

O povoado usado como base para todos os passeios é San Pedro do Atacama. Praticamente um oásis no meio do deserto. Sua localização é próxima aos principais locais do deserto. As opções mais próximas da rua Caracoles que é a principal da cidade costumam ser mais caras. A Calle Caracoles concentra a maioria das agências de turismos e restaurantes descolados. Como o povoado é muito pequeno, não existe problema em ficar um pouco afastado da parte central. Mesmo que a minutos de caminhada. Algumas pousadas mais distantes oferecerem bons preços. O importante é pesquisar bem.

Lagunas Altiplanicas - Povoado Socaire
Lagunas Altiplanicas – Povoado Socaire

Como contratar os passeios

Não vale a pena contratar os passeios ainda no Brasil. Se você quer economizar, a dica é reservar uma parte do dia assim que chegar a San Pedro para pesquisar e negociar com as agências. Existem bons descontos para quem compra vários passeios com uma só agência. Andando e pesquisando pela Calle Caracoles percebe-se passeios para todas as faixas de preços.

Vale de La Luna
Vale de La Luna

Uma agência chilena que presta ótimos serviços com bons preços é a Maxim Experience, fica na Calle Caracoles, 174. Os guias são excelentes e conseguem oferecer uma boa experiência no deserto.

Uma agência bem famosa para os brasileiros é a Ayllu Atacama. Conhecida por proporcionar uma experiência mais luxuosa em seus passeios, com conexão wifi nas vans. Todo esse luxo tem um preço, em alguns casos podem ser mais que o dobro das demais. Se você não tem problema com economia, então essa é a agência certa. Uma concorrente da Ayllu com valores um pouco menores é a FlaviaBia Expediciones. Oferece o mesmo serviço luxuoso da Ayllu sendo que com um valor menor. Mas se comparado às demais agências, continua sendo bem mais cara.

Dica: Sempre negocie e deixe para comprar os passeios quando chegar em San Pedro.

Vale de La Muerte
Vale de La Muerte

Passeios

Sobre esse tema, não podemos esquecer que a região tem altitudes elevadas. San Pedro está a 2.400 metros acima do nível do mar. Daí em diante é só subida. Para brasileiros, pode ser difícil se acostumar. Cada pessoa pode reagir de uma forma diferente na altitude. O ideal é começar pelos passeios com altitudes mais baixas e ir para os mais elevados, dando tempo para o corpo se aclimatar com a nova realidade. Muito importante para quem deseja explorar os vulcões no deserto que ultrapassam os 5 mil metros.

Vale vulcão Putana
Vale vulcão Putana

Vamos aos passeios:

Valle de la Luna e Valle de La Muerte

Com a mesma altitude de San Pedro, é ideal para começar a explorar o deserto. Assim como todos os lugares do Atacama, você vai ficar impressionado com a beleza dos dois vales. Pensará estar em outro planeta. Dizem que a Nasa fez testes lá,  com seus robôs enviados a Marte, por ser o lugar na terra com a superfície mais parecida com o planeta vermelho.

Vale de la luna

O Valle de la Luna recebe esse nome também devido a semelhança da superfície com a Lua. O que na verdade são vestígios de sal. Os dois vales fazem parte da famosa cordilheira de sal.

Os passeios saem a tarde e voltam após o pôr do sol, que é o momento mais esperado por todos que visitam o local. Muito, mas muito lindo. Durante a tarde, quem visita tem a sorte de visitar vales, trilhas pelo sal, conhecer a pedra del Coyote, andar sobre as dunas e até praticar Sandboard. Por ser próximo a San Pedro e não ter uma altitude elevada, muitos turistas alugam bicicletas para conhecer o lugar.

Vale de La Luna
Vale de La Luna

Dica: Leve um casaco, pois a temperatura vai cair à medida que a noite vai chegando.

Laguna Cejar

Ainda na mesma altitude de San Pedro, saímos a tarde do povoado, por volta das 16h em direção a laguna Cejar, uma lagoa peculiar. Sua concentração de sal é muito maior que o famoso mar morto e pelo menos sete vezes mais sal que os oceanos. Mesmo que você tente afundar nela, faça muita força, não vai conseguir.

Lagunaa Cejar
Lagunaa Cejar

A experiência de flutuar é interessante sendo a grande atração do passeio. Mas também há como não ficar admirado com toda beleza em volta da lagoa, com as cores, montanhas e vulcões. Em especial o vulcão Licancabur, que pode ser visto de San Pedro e de vários outros pontos do deserto, mesmo a dezenas de quilômetros de distancia, na fronteira com a Bolívia. Quase impossível não notar esse gigante de 6 mil metros de altura. A paisagem é surreal e ideal para belas fotos. O passeio também dura até o por do sol. Vale muito a pena ficar até mais tarde esperando esse espetáculo.

Dica: Evite andar descalço perto das lagoas, pois todo chão é formado por sal cristalizado o que pode causar sérios cortes e estragar o passeio. E muito cuidado com os olhos durante o mergulho, é muito sal e arderá muito caso a água pegue no olho. Também não se esqueça do casaco, ao anoitecer a temperatura no deserto cai muito.

Lagunas altiplanicas
Lagunas altiplanicas

Lagunas Altiplânica e Piedras Rojas:

É difícil escolher o melhor passeio no Atacama, todos são encantadores e incríveis. Se no Valle de La Luna e de La muerte ficamos na dúvida se estávamos em outro planeta, ao conhecer as Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas temos a certeza absoluta que não estamos no planeta Terra.

Lagunas altiplanicas
Lagunas altiplanicas

Bem vindos as Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas:

Montanhas coloridas por causa dos diferentes minerais, lagoas salgadas, uma atmosfera diferente, frio, sol escaldante, altitude, Vicunhas (animal típico da região), tudo isso em um cenário que parece de filme de ficção. Seria absolutamente normal ficar paralisado com o lugar e perguntando se tudo é real.

Vicunhas
Vicunhas

O começo da viagem tem uma subida pelo deserto que leva os visitantes a 4.200 metros de altura, em poucas horas, tem sua primeira parada no vilarejo de Socaire onde os visitantes conhecem um pouco da história dos nativos, como eles aproveitam a pouca água e a famosa igrejinha de barro. Essa pequena parada é boa para o corpo se acostumar com uma altitude mais elevada.

Lagunas Altiplanicas – Povoado Socaire

Seguindo viagem, a van parte em direção a Piedras Rojas, ou pedras vermelhas, por causa da coloração causada pelos minerais. Aqui começamos a entrar em um mundo surreal. 4.200 metros de altitude, muito vento e frio, os diferentes minerais colorem as montanhas que rodeiam as pedras vermelhas.

lagunas altiplanicas
lagunas altiplanicas

Nessa altitude, você pode sentir dificuldade para respirar. Então a dica para aproveitar melhor e tirar boas fotos é caminhar devagar evitando esforço. A altitude começa a exigir mais do corpo e para algumas pessoas o desgaste físico é mais rápido. Vá caminhando devagar, suba nas pedras, faça poses, tire fotos e contemple o lugar que com certeza, ficará marcado para sempre nas suas lembranças.

Salar do Atacama
Salar do Atacama

Após o tempo estipulado pelo guia para aproveitar a natureza das pedras vermelhas, é hora de seguir até as famosas lagunas Altiplânicas. Lagoas azuis cercadas por montanhas coloridas e um céu azul, pois quase não chove no Atacama. Essas lagoas são formadas por águas de rios subterrâneos. Aproveite muito para tirar fotos que parecem quadros.

No caminho entre Piedras Rojas e lagunas Altiplânicas, vemos muitas vicunhas, um animal típico e simpático que vive nas montanhas da Cordilheira dos Andes. Com tempo suficiente, a maioria dos guias levam os turistas para conhecer a imponente laguna Tuyato, que fica a poucos quilômetros de distância das duas primeiras, é rodeada por montanhas e muito sal, além de receber águas do degelo das montanhas e do rio subterrâneo.

Flamingos -Salar do Atacama
Flamingos -Salar do Atacama

Salar do Atacama

Uma pequena parte do deserto do Atacama é formada pelo Salar do Atacama um deserto de sal com 3.000 km², 100km de comprimento, 80km de largura e em alguns pontos é possível encontrar sal a mais de mil metros de profundidade. Para ter uma ideia do tamanho desse deserto, que é o quarto maior do mundo, seu tamanho é o dobro da cidade de São Paulo. Imagine a maior cidade brasileira coberta de sal. Tudo isso duas vezes. É muito sal!

Vista do Salar do Atacama
Vista do Salar do Atacama

O parque fica dentro da Reserva Nacional de Los Flamencos onde vamos poder observar melhor os flamingos. Lá observamos as aves se alimentando e fazendo um lindo balé no ar quando voam.

Ah, a visitação do Salar do Atacama faz parte do passeio das Lagunas Altiplânicas.

Geysers
Geysers

Geysers del Tatio

Chegou a hora de sentir frio de verdade, de sentir uma das forças mais fortes da natureza, a força vulcânica e sentir aquele cheirinho de enxofre que para muitas pessoas é a primeira vez.

Esse é o passeio dos geysers del Tatio, o mais frio do Atacama. Para presenciar a atividade vulcânica no seu ápice que acontece ao amanhecer, as vans partes de San Pedro do Atacama ainda de madrugada, por volta de 4h30 e sobem a Cordilheira dos Andes até o terceiro maior campo geotérmico do mundo, El Tatio, a 4.300 metros de altura. Isso explica as temperaturas negativas, principalmente no inicio da manhã. No verão a temperatura pode variar entre -5 e 0 grau. Já no fim do inverno entre -10 e -5 graus. Mas se você resolver ir no auge do inverno, se prepare para enfrentar temperaturas que chegam facilmente a 25 graus negativos. É um frio cortante, mas a paisagem compensa tudo. Para não perder o costume, mais uma lugar surreal no deserto mais incrível do mundo.

Geysers
Geysers

A explicação para este fenômeno é que o magma está passando a 3 mil metros abaixo dos geysers, ele esquenta as rochas que entra em contato com a água proveniente do degelo das altas montanhas dos Andes. Esse contato faz com que a pressão seja tão forte que leve a água de volta para superfície em jatos de até 10 metros de altura. Muitos são jatos de vapor, enquanto a água borbulha na terra.

Não é aconselhável colocar as mãos ou corpo na direção dos jatos, que podem chegar a 85 graus e pode causar queimadura. Também não é aconselhável beber da água que em muitos lugares dos geysers tem vários minerais que são prejudiciais à saúde. Para quem quer curtir uma experiência diferente, é liberado uma área para banho termal. Enquanto a temperatura externa está negativa, no banho chega a 30 graus.

Geysers - Banho ternal
Geysers – Banho ternal

Depois de apreciar tudo que tem nos geysers é hora de descer até o pequeno povoado de Machuca, onde os visitantes podem conhecer a cultura local, visitar as casinhas de barro e provar o churrasco de Lhama.

Antes da volta para San Pedro, ainda temos uma parada em um vale com vista para o vulcão Putana, quase fronteira com a Bolívia.

Dicas: Vá vestido com camadas de roupas para suportar o frio e também resistir ao calor. É comum ao longo do passeio a temperatura sair de alguns graus negativos e chegar aos 40 graus. O que exigirá roupas leves. Beba muita água e use protetor solar.

Tour Astronômico

O Atacama tem a fama de ter o céu mais limpo do mundo. E você poderá comprovar essa fama ao fazer o tour astronômico. O passeio começa tarde da noite, quando a van da empresa Space leva todos para uma área isolada do deserto sem interferência das luzes da cidade.

Lua vista no tour astronômico
Lua vista no tour astronômico

Lá a empresa tem algumas estruturas de base como se fossem cabanas. Mas o espetáculo é todo na parte externa onde são distribuídos cobertores para os presentes se protegerem do frio, e o guia com uma potente lanterna começa a explicação sobre o céu e as constelações. Telescópios também estão disponíveis. O céu realmente é muito limpo e a grande dica é só fazer esse passeio quando não está próximo da fase de lua cheia. A claridade da lua atrapalha na visualização de muitas estrelas e da via láctea.

Chegada na Cratera do vulcão Lascar
Chegada na Cratera do vulcão Lascar

Vulcão Lascar

Imagine experimentar tudo que o deserto do Atacama e suas forças em um único passeio. É assim ao encarar a subida do Vulcão Lascar. O passeio começa ao amanhecer e o café da manhã é servido às margens da laguna Legia a cerca de 4.300 metros a cima do nível do mar. Em seguida o carro vai até 4.500 metros, na base da montanha para então começar a aventura de verdade.

Alguns dados: Altitude em sua cratera de 5.500 metros acima do nível do mar Temperatura: entre -5 e 5 graus no final do inverno (o frio é a menor das preocupações), velocidade do vento chega até 60km/h.

Cratera do vulcão Lascar
Cratera do vulcão Lascar

Subir o Lascar, não é apenas subir uma montanha. É chegar ao topo de um vulcão ativo, o mais ativo do norte do Chile, que teve sua última erupção em 2007 e não se sabe quando será a próxima. A atividade vulcânica faz com que uma fumarola saia de sua cratera e possa ser vista a quilômetros de distância. Conhecer uma das mais incríveis forças da natureza tão perto realmente é uma experiência incrível. Chegar até a cratera é uma superação, pois o corpo para quem não é acostumado com a altitude é levado a um esforço físico extremo. Sentir na pele várias forças da natureza ao mesmo tempo (altitude, ar rarefeito, ventos fortes e frio), é difícil. Assim como também respirar a mais de 5 mil metros de altura (mesma altura de voos de pequenos aviões), é um desafio. Durante a subida, cada tentativa de respirar, o coração disparava, a cabeça sentia a pressão, e as pernas o desgaste.

Vale ao redor do vulcão Lascar
Vale ao redor do vulcão Lascar

Mas alcançar a cratera e saber que você chegou a um dos pontos mais altos da Cordilheira dos Andes é uma experiência única. Todas as dificuldades são esquecidas e é possível apreciar uma bela vista.

Cratera do vulcão Lascar
Cratera do vulcão Lascar

A descida é tão difícil quanto à subida. Os pulmões não são tão exigidos, mas em compensação, pés, tornozelos e pernas em um desgaste dobrado se comparado à ascensão. O terreno cheio de rochas vulcânicas soltas é traiçoeiro, podendo causar acidentes graves. Use botas apropriadas. Tênis dificulta a movimentação.

Um bom guia faz toda diferença. Os bons estão sempre próximos para ajudar, auxiliam tanto na alimentação quanto para beber água. Dão dicas e fazem uma trilha em zigue-zague. Existem guias que colocam o grupo para subir em linha reta a montanha. Isso não se faz. Acaba que você vai cansar muito mais e perder muito tempo na subida. Com uma altitude assim não se brinca.

Com todos os cuidados tomados, é curtir o passeio e aventura.

Laguna Miscanti
Laguna Miscanti

Informações gerais:

– Todos as dicas são com base em uma estadia de 5 dias no Atacama. Existem outros passeios excelentes que podem ser pesquisados.

– Beba sempre muita água, não se esqueça de que mesmo diante de uma bela paisagem, você estará no deserto mais alto e seco do mundo.  Hidratação é sempre fundamental e leve uma garrafa para todos os passeios.

– Os efeitos da altitude podem ser diferentes em cada pessoa. Uma pode ter dificuldade para respirar, outra pode não ter tanta apetite, outra pessoa pode sentir tonturas. Portanto, mesmo sem fome, também se alimente, converse com os guias e moradores sobre como passar os efeitos da altitude.

– Por ter um clima muito seco, é aconselhável levar hidratante para pele e um bom protetor labial.

Sempre usar as roupas adequadas
Sempre usar as roupas adequadas

– Em muitos casos o nariz pode sangrar. É por causa do clima do local. Não precisa ficar desesperado. Quando estiver na hospedagem, o vapor de panela de água quente ajuda a umedecê-los.

– Óculos escuros são essenciais, assim como boné.

– Antes de ir até o Atacama procure saber qual a temperatura mínima e máxima para o mês escolhido. Em alguns meses faz muito mais frio que outros.

Lhamas
Lhamas

– As temperaturas no deserto variam muito. É comum ter variação de mais de 30 graus em poucas horas. Então escolher a roupa correta ou sair com mais de uma camada de roupa vai ajudar muito.

Veja também

3 Comentários
  1. Diego 10 meses atrás
    Responder

    Show Filipe… Ótimas dicas e informações. Obrigado por compartilhar sua experiência na viagem. Parabéns 👏

  2. Renato 10 meses atrás
    Responder

    Wow..matéria sensacional, rica em detalhes e super bem escrita. Parabéns Felipe e equipe Levenamala. Abraço

  3. […] porque em seguida apareceu o @guiadadiversao, @geooliveira, Dani do @viajandocomdanielacascardo, @filipeleonardo000 com suas fotos de tirar o fôlego. A Cláudia ­- mostrando que se pode viajar com crianças […]

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.